Aliança do Yoga

Este Centro possui Professores Filiados na Aliança do Yoga

Textos

Yoga Sutra – 7 Chaves para Praticar

Yoga Sutra – 7 Chaves para Praticar
Swami Jñaneshvara Bharati


Concentrar-se em Poucas Sugestões Chaves

Uma maneira de tornar a compreensão do Yoga Sutra mais simples e acessível é concentrar-se, inicialmente, em um número pequeno de sugestões, dentre as mais claras, diretas e úteis, que possuem práticas e princípios fundamentais. A seguir, sete práticas deste tipo, que abrirão o caminho para práticas mais profundas do Yoga Sutra.

1. Faça escolhas que levem à tranquilidade estável: em Yoga, um dos princípios centrais, frente ao qual todas as decisões da vida são feitas, é o que o levará em direção a uma tranqüilidade estável (1.13). É este o sentido da palavra abhyasa, que significa praticar. Preparar e treinar a si mesmo na arte de tomar decisões, o guiará consistentemente em direção ao espaço interior e a Auto-realização. Com freqüência, pergunte a si mesmo: “Isto é útil ou inútil? Isto me levará na direção correta ou na direção errada?” Assim, você poderá ir em uma direção com convicção e com um espírito de desapego (1.15).

Alguns sutras relacionados: (1.13, 1.12-1.16).

2. Reafirme sua convicção regularmente: dentre as principais atitudes para desenvolver e reafirmar, nenhuma é mais importante que virya, que significa energia da convicção e persistência (1.20). Com freqüência, procuramos a emersão da kundalini shakti, o despertar espiritual, mas sua primeira forma de despertar é o sankalpa shakti, o shakti da determinação, que exclama, com uma voz firme, “Eu posso fazer isto; Eu farei isto; Eu tenho que fazer isto!” Manter esta atitude sempre como companheira, fará você continuar a caminhar, mesmo quando o caminho parecer cheio de obstáculos. Com esta atitude, o mesmo ego que é visto como obstáculo, torna-se o melhor amigo. Paradoxalmente, a determinação anda de mãos dadas com o deixar ir.

Alguns sutras relacionados: (1.20, 1.19-1.22)

3. Esteja atento ao colorido dos pensamentos: a alegria da meditação profunda vem pela retirada do tingimento dos obstáculos mentais (1.4) que encobrem o Ser verdadeiro (1.3). Este processo de cultivar padrões de pensamentos sem cor (aklishta), ao invés de coloridos (klishta), permeia o Yoga Sutras e é um princípio fundamental das práticas. Envolve a diminuição da pintura densa (2.1-2.9) e depois ocupar-se com as cores mais sutis (2.10-2.11), de tal forma que a união com o karma possa ser quebrada (2.12-2.25). É muito útil estar atento (1.20) a essas cores, particularmente ao modo como eles se aplicam a atrações, aversões e medos (2.3). Através de uma atitude atenta, gentil e amorosa com estes corantes, tanto na vida diária quanto nas meditações, a intensidade das cores pode ser pouco a pouco atenuada (2.4). Isso gradualmente afina o véu que encobre o Ser verdadeiro (1.3).

Alguns sutras relacionados: (1.5, 2.1-2.9, 2.10-2.11, 2.12-2.13)

4. Use uma única solução simples para 27 formas de negatividade: Há muitas sugestões positivas no Yoga Sutras de como agir, falar e pensar, incluindo os cinco Yamas (não violência, verdade, não roubo, recordar-se da força criadora e não dispor-se a acumular bens materiais) (2.30-2.34). Entretanto, freqüentemente não somos capazes de viver completamente de acordo com estes padrões morais elevados. Cada vez que nossas ações, discursos ou pensamentos são contrários a esses princípios, podem estar acompanhadas de raiva, ambição ou ilusão. Estas emoções podem ser de intensidade leve, moderada ou intensa. Assim, há 27 combinações possíveis com essas três emoções (2.34). Embora nunca tenhamos contado suas combinações desta forma, somos familiarizados com os diversos meios com que emoções negativas podem causar problemas. Entretanto, há um princípio único para lidar com essas emoções, que é elegantemente simples (apesar de exigir grande esforço). Este princípio é: reprograme a mente lembrando-lhe repetidamente que ela está indo na direção errada e causará somente sofrimento sem fim (2.33, 2.34). Embora aparente ser muito simples para ser de alguma utilidade, na verdade é extremamente eficaz na limpeza da mente, e o esforço de examinar esse princípio de perto e pratica-lo todos os dias é válido. Isto abre a porta para meditações mais sutis.

Alguns sutras relacionados: (2.33, 2.34)

5. Treine a mente para ser focada: há muitos obstáculos previsíveis na jornada interior, de acordo com Patanjali. Isto inclui doença, apatia, negligência, preguiça, desejo, percepção incorreta, fracasso e instabilidade (1.30-1.32). Entretanto, há um antídoto simples que lida de modo muito eficaz com estes obstáculos, que é treinar a mente a estar focada (1.32). Não importa se o meio para alcançar a concentração é recitar um mantra, fazer uma prece curta, relembrar um princípio ou concentrar-se naquilo que se está fazendo, porque a prática de concentração é aparentemente simples, mas profundamente útil. Ela deve ser praticada e experimentada para ser apreciada em sua totalidade.

Alguns sutras relacionados: (1.30-1.32, 1.33-1.39, 2.41)

6. Testemunhe todas as coisas: há um processo simples que faz seu caminho ao longo do Yoga Sutras, que é, sistematicamente, observar, explorar, pôr de lado com o desapego (1.12-1.16) e ir mais longe em cada nível da realidade e de nosso próprio ser. O significado de testemunhar é uma fórmula simples:

testemunhar = observação + desapego.

Testemunhar todas as coisas envolve, sistematicamente, desatar-se dos padrões de pensamento (1.4), observar os pensamentos (1.6-1.11), cultivar a recordação ou o pensamento atento (1.20) , mover-se através dos níveis de consciência (1.17) e lidar com o denso (2.1-2-9), o sutil (2.10-2-11) e o mais sutil (3.9-3.16). (Veja também o artigo Testemunhando Seus Pensamentos).

Alguns sutras relacionados: (1.4, 1.6-1.11, 1.17, 2.1-2.9, 2.10-2.11, 3.9-3.16)

7. Discirna em todos os níveis: a ciência inteira da Auto-realização do Yoga baseia-se no discernimento (viveka). O discernimento é usado para fazer escolhas que tragam uma tranqüilidade que seja estável (1.13). O propósito dos oito degraus do Yoga é a discriminação (2.26-2.29). A discriminação aguçada (3.4-3.6) é usada para separar aquele que observa daquilo que é observado (2.17), para que as correntes do karma sejam quebradas (2.12-2.25) e para deixar para trás os quatro erros da ignorância, ou avidya (2.5). Os discernimentos mais sutis envolvem muitas experiências também sutis (3.17-3.37, 3.39-3.49), assim como a mente e a consciência (3.50-3.52, 3.53-3.56), com o mais alto discernimento levando a absoluta libertação (4.22-4.26).


Pergunte a si mesmo: um dos meios mais simples, claro e útil para praticar o discernimento, é refletir sobre suas ações, sua fala e seus pensamentos, perguntando a si mesmo, “Isto é útil ou inútil? Ajuda ou não? Isto está me levando para a direção correta ou para a direção errada? É melhor que eu faça ou não faça?” Avalie suas respostas com base no que o aproxima ou o distancia da Auto-realização. Pergunte a si mesmo questões como estas e certamente as respostas virão, através do discernimento.

Alguns sutras relacionados: (1.13, 2.5, 2.17, 2.12-2.25, 2.26-2.29, 3.17-3.37, 3.39-3.49, 3.50-3.52, 3.53-3.56, 4.22-4.26)

Traduzido pelo yogi Rogério Maniezi do original Yoga – 7 Keys to Pratice, de autoria de Swami Jnaneshvara Bharati, disponível em www.SwamiJ.com.

Visite o site:

www.yoga.pro.br

 

Rua Gonçalves Dias, nº. 109 Pio Correa - Criciúma/SC