Aliança do Yoga

Este Centro possui Professores Filiados na Aliança do Yoga

Textos

Manter a Espinha Ereta para uma Mente Quieta - Susan Andrews

Manter a Espinha Ereta para uma Mente Quieta
Susan Andrews


Como um amigo meu costuma dizer: “Você não tem uma segunda chance para causar uma primeira boa impressão”. De acordo com especialistas, você tem no máximo 30 segundos – algumas estimativas calculam somente cinco – de interação com estranhos antes que eles formem uma opinião a seu respeito. E, de todos os fatores envolvidos num encontro desses – trajes, expressão facial, asseio –, um dos mais importantes é sua postura.

A postura nos diz, de forma mais eloqüente que as palavras, o estado interior da pessoa, sua auto-confiança, sua determinação, seu vigor. Ela não é apenas a linguagem não-verbal da liderança, mas um importante elemento em nossa própria sensação de identidade. Infelizmente, para muitas pessoas que chegam à faixa dos 30 anos, horas a fio debruçadas sobre suas mesas de trabalho têm levado a ombros arredondados e colunas encurvadas. Para compensar essa posição imprópria, a região lombar também se arqueia, projetando a pélvis à frente. Dia após dia, essa condição provoca tensão muscular e uma indevida pressão nas articulações, causando dores nas costas e enxaqueca, redução de sangue oxigenado no cérebro, crescente fadiga e até depressão.

Numa charge do Snoopy, o personagem Charlie Brown, com sua cabeça pendendo sobre o peito, diz a Lucy: “Esta é a minha postura deprimida. Quando você está deprimido, sua postura faz muita diferença”. Então, ergue a cabeça para o céu e continua: “A pior coisa que você pode fazer é ficar ereto e manter a cabeça erguida, porque aí você começa a se sentir melhor”. Ele abaixa a cabeça, encurva as costas novamente e conclui: “Se você quiser obter qualquer prazer ao estar deprimido, você tem de ficar assim”.

Charlie Brown estava certo. Manter os ombros arredondados à frente, as costas encurvadas, o peito comprimido e a cabeça abaixada, como se você estivesse com o peso do mundo sobre os ombros, reforça a depressão. Na semana passada, após uma aula de exercícios posturais, uma das pacientes depressivas que estamos tratando comentou: “Quando ficava deprimida, com meu peito para dentro e minha cabeça pendendo para baixo, não conseguia respirar direito. Sofria pela falta de ar. Estou me sentindo outra pessoa agora”. Um estudo relatado na revista médica britânica The Lancet, envolvendo pacientes maníaco-depressivos sob medicação por anos, verificou que, quando eles foram treinados a se manter eretos, com a cabeça erguida e respirando profundamente, a medicação não era mais necessária.

Ficar de Pé com Postura Correta e Respirar Profundamente pode aliviar a Depressão

A boa notícia é que a maioria das pessoas pode mudar sua postura e transformar sua aparência e seu astral. Se você quiser checar seu alinhamento corporal, tente o “Teste da Porta”. Fique de pé, com suas costas contra uma porta. Seus calcanhares, costas, panturrilhas, glúteos, a parte superior das costas e sua cabeça deveriam tocar confortavelmente a porta. Agora, se você precisar forçar para fazer contato, então provavelmente tem algum desvio.

Sempre que você reparar em sua postura se deteriorando e sua respiração ficando restrita, abra o peito e mantenha o queixo erguido. Os fisioterapeutas dispõem de boas técnicas para treinamento postural, mas existe uma pequena dica útil para qualquer um. Fique de pé ereto, gire seus ombros para trás e dê algumas longas e profundas respiradas. Imagine que um fio dourado está amarrado na coroa de sua cabeça, puxando você para cima. Sinta que seus pés estão enraizados no chão, como a base de uma montanha, e sua cabeça está acima das nuvens, alcançando seu ideal. Tente imaginar isso sempre que possível – de pé, ao caminhar, sentado na cadeira – e também olhe para si mesmo no espelho. Quando a boa postura se torna um hábito, você estará prestes a descobrir a influência da graça corporal em sua harmonia emocional. Como diz a canção “Serra do Luar”, de Walter Franco: “Tudo é uma questão de manter a mente quieta, a espinha ereta e o coração tranqüilo”.

Fonte: http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/1,,EMI5785-15230,00.html
SUSAN ANDREWS
é psicóloga e monja iogue. Autora do livro Stress a Seu Favor, ela coordena a ecovila Parque Ecológico Visão Futuro e escreve quinzenalmente em ÉPOCA. www.visaofuturo.org.br / susan@edglobo.com.br

 

Rua Gonçalves Dias, nº. 109 Pio Correa - Criciúma/SC