Aliança do Yoga

Este Centro possui Professores Filiados na Aliança do Yoga

Ásanas – Posturas de Yoga

 

Ásanas – Posturas de Yoga

 

 

Há muito tempo atrás os yoguis (praticantes de Yoga) desenvolveram um sistema de exercícios para exercer uma determinada pressão sobre as varias glândulas endócrinas, tonificar e alongar os músculos, tendões e ligamentos, flexibilizar as articulações, favorecendo a coluna vertebral, o funcionamento dos órgãos e vísceras internos.

Há milhares de anos, bem no interior das antigas florestas da Índia e da China, viveram yoguis que dedicaram suas vidas ao domínio do corpo e da mente. Naquele ambiente calmo e silencioso, eles acostumaram-se a observar os animais que partilhavam da sua solidão – como eles descansavam, como instintivamente se curavam.

Quando experimentaram as posturas realizadas pelos animais em seus corpos sentiram os efeitos sutis desses movimentos em seus próprios órgãos e glândulas.

Após milhares de anos de experiência e treinamento destas posturas que imitavam os animais, inventadas pelos yoguis, foram refinadas para um sistema científico de milhares de exercícios chamados ásanas, muitos os quais tendo recebido os nomes dos animais que os inspiraram – cobra, coelho, leão, pássaro, macaco, tartaruga, pavão, etc...

Ásana significa literalmente “postura confortável”, “postura facilmente mantida”. A pressão sutil das posturas de Yoga, estaticamente mantida por certo período de tempo, restabelece a correta secreção dos hormônios, resultando num equilíbrio emocional e conseqüente físico.

 

Regras para a Prática de Ásanas

 

Sempre se devem realizar os ásanas com o menor número de distrações possíveis. Devem-se utilizar roupas soltas, mas não fazê-lo despido. Tanto os homens quanto as mulheres devem usar vestimentas que sustentem apropriadamente os órgãos genitais.

As mulheres devem evitar fazer alguns ásanas durante o período menstrual ou depois do sétimo mês de gravidez e até 2 meses depois do parto. Exercícios de aquecimento se deve fazer sempre.

Não se deve fazer os ásanas ao ar livre, ainda que a ventilação seja boa para promover ar fresco, não se deve fazer ásanas num lugar com fumaça ou poeira.

Pode-se tomar banho antes de fazer os ásanas, porem não convém fazê-lo por pelo menos uma (1) hora depois.

Não se deve comer por 2 horas antes de fazer ásanas e até meia hora depois de havê-las terminado.

É bom respirar através das fossas nasais, assegurando-se que a narina esquerda esteja ativa. Para ativá-la é preciso deitar-se sobre o lado direito, apoiando a cabeça na parte interior do braço direito, ou então sentado dobrar a perna direita e colocar o joelho direito embaixo da axila direita.

Faça os ásanas com movimentos suaves e uniformes, mantendo um ritmo constante, não se apresse.

Se puder pratique ásanas regularmente, no mínimo 1 vez ao dia.

Não aprende ásanas de livros e sim com Instrutores capacitados que possa prescrever as que mais convém as suas necessidades.

 

Efeito dos Ásanas

 

Sabemos que todo o organismo humano, cada órgão, tecido, célula, molécula, etc. é afetado pelos hormônios liberados pelas glândulas endócrinas e que o desenvolvimento correto, que o funcionamento equilibrado das várias partes do corpo é possível somente quando existe a secreção equilibrada de todos os hormônios, sendo que qualquer desequilíbrio na produção e liberação destas substâncias resulta em doença.

Os ásanas equilibram as secreções hormonais das várias glândulas: as posturas de torção e flexão dos ásanas, mantidas por um período específico de tempo, aplica uma pressão específica e continua nas glândulas, estimulando-as de várias formas e regulando suas secreções e controlando também as emoções.

A proporção que as deficiências ou excessos das glândulas vão sendo curadas, a mente vai sendo aliviada de suas perturbações emocionais e uma perfeita serenidade mental é obtida.

Diversos ásanas são prescritos aos estudantes de Yoga, por professores treinados, capacitados para fortalecer e regular a secreção das várias glândulas existentes. Por exemplo a Postura do Arco (Dhanurasana) ou a Postura da Roda (Chackrasana) atuam sobre as glândulas supra-renais, etc... Através da prática regular, muitas enfermidades podem ser aliviadas, sendo a harmonia da mente e do corpo restabelecida.

Os ásanas além de atuarem sobre as glândulas endócrinas, relaxam e tonificam os músculos, estimulam e melhoram a circulação, alongam os ligamentos e tendões enrijecidos, melhoram a mobilidade das articulações, massageiam os órgãos internos, acalmam a mente. Durante estes suaves e ao mesmo tempo intensos movimentos, o corpo permanece num estado de relaxada eficiência, sendo que a respiração profunda que normalmente acompanha as posturas, traz consigo uma grande quantidade de oxigênio que é absorvido pela circulação e distribuído por todo o corpo. Sendo que é natural que a energia seja acumulada durante as práticas dos ásanas e não desperdiçadas.

 

Os ásanas se desenvolveram ao longo dos séculos de modo a exercitar cada músculo, nervo glândula do corpo. Garantem um físico harmonioso, forte e elástico, sem tornar o corpo musculoso, mantendo-o livre de doenças. Reduzem a fadiga e aclamam os nervos. Mas sua real importância está na maneira pela qual treinam e disciplinam a mente. B.K.S. Iyengar

 

Gradualmente o corpo se estabiliza, se acostuma aos movimentos, conseguindo aumentar o relaxamento e evitar a dor e o desconforto que existem no início da prática,durante a execução das posturas. Após um período prolongado da pratica dos ásanas nossa atividades se tornam uma extensão destes movimentos.

O Svetavtara Upanishad, escritura indiana antiga diz que:

 

Os primeiros sinais da pratica do Yoga são leveza, ausência de desejos, uma boa compleição, uma bonita voz e um agradável odor no corpo.

 

Texto produzido por Maykon Bernardo

 

 

Rua Gonçalves Dias, nº. 109 Pio Correa - Criciúma/SC